Pages

domingo, 28 de abril de 2013

Abertura de Game Of Thrones (HBO)

Eu como uma fã incondicional de Game of Thrones, tanto os livros (estou no 5º com dó de acabar) quanto a série, não poderia deixar de postar alguma coisinha sobre ela. Hoje será sobre a abertura da série, na minha humilde opinião a melhor abertura de seriado ever, adorooo, é um show a parte, e quem acompanha com certeza gosta também. 


Um astrolábio inflamável orbita em um mundo que não é o nosso, com uma estrutura cardânica maciça girando sinuosamente em torno de um centro ardente, vividamente recontando uma história desconhecida através de uma séria de quadros vivos. Um mapa intrincado é posto em foco, como se visto através de um espelho colossal por um guardião invisível. Cidades e vilas emergem no terreno, com um crescimento mecânico orientados pelos mecanismos da política e engrenagens da guerra. Desde o ápice de King's Landing (Porto Real) à floresta sagrada de Winterfell, para as alturas congeladas da Muralha e as planícies do mar estreito, proporcionando um voo cartográfico através dos Sete Reinos para os não-iniciados em todas as coisas de Game of Thrones
(Perkins Will, co-autor)

Segue abaixo alguns trechos da entrevista concedida por Angus Wall, diretor criativo da Elastic, empresa que produziu a abertura de Game of Thrones, ao site Art of the Title em 2011:

"Discutimos uma preocupação que é que Game of Thrones não acontece na Terra que conhecemos. Se passa em um mundo que só existe nos livros. Assim, da mesma forma como se coloca um mapa à frente dos livros de fantasia, ela sentiu como se houvesse a necessidade de um mapa para o show"

Arte conceitual do mapa

"Fizemos uma lista dos locais que precisávamos construir. Depois descobrimos quantas versões diferentes da sequencia precisávamos criar, ou a ideia era que a abertura mostrasse todos os locais que fossem visitados em cada episódio. Preparamos quatro sequencias diferentes, cada uma com uma variação sutil."

Exemplos de brasões das Casas

"Além de levar você a uma viagem, esta oferece uma grande quantidade de informações sobre o mundo que você irá ver. Isso nos permitiu criar nosso próprio pequeno mundo. A HBO e os criadores da série nos deixaram continuar com essa ideia e queríamos fazer algo diferente com ela."

Rascunhos de Vaes Dothrak

"Nosso objetivo era tentar reproduzir algor que se parecesse e funcionasse como um objeto físico. O diretor de arte Rob Feng, referenciou as Máquinas de Leonardo, que têm um sentido atemporal de design. Nós queríamos que a abertura fosse enraizada no mundo do espetáculo, que é um local tecnicamente não sofisticado, mas também tem uma complexidade que lhe dá vida. Definitivamente não e contemporâneo! Tudo é feito de madeira, metal, couro, tecido, todos os materiais naturais..."

Rascunhos de Winterfell
"Criamos o mundo em previs e começamos a contruir a abertura. Na minha mente esta sequencia inteira teve que ser dinâmica. A câmera tinha que estar em movimento o tempo todo, levando a uma viagem. Então começamos com grandes movimentos de lugar para lugar, focamos em como estávamos revelando os diferentes locais e eles foram surgindo sobre a superfície do mapa"

Arte conceitual de Porto Real (King's Landing)

"Basicamente, nós tínhamos um mapa existente de Westeros e um mapa desenhado a mão e xerocado de Essos - ambos feitos por George R. R. Martins- eu coloquei ambos no photoshop e fiz uma escala, até que se alinharam perfeitamente. As dimensões atuais, os locais e sua colocação, bem como os diferentes terrenos são todos estritamente baseados nos mapas de George R. R. Martins. Foi muito importante manter-nos absolutamente fiéis aos livros por causa dos fãs fervorosos lá fora"

Winterfell e A Muralha
"As pessoas com quem trabalhamos eram muito favoráveis com o que estávamos fazendo. Uma das coisas que conversamos foi a respeito das partes do astrolábio - as faixas que circundam o sol. Mostramos três close-ups daquelas partes que contam a pré-história do mundo em forma de escultura em relevo. Elas contam sobre dragões atacando Westeros. Contam sobre a forma como as Casas diferentes em Westeros se uniram e derrotaram os dragões, e como essas Casas, representados pelos seus respectivos animais, curvaram-se em aliança com o veado da Casa Baratheon. Inicialmente tínhamos cinco dessas representações, mas consideramos que mesmo com apenas três, seria suficiente para entender o que acontece na sequência... que é uma coisa que eu gosto. Eu gosto do fato de que você pensa: 'eu não tenho certeza se entendi tudo o que eu deveria entender'. Você vai ver isso várias vezes e nós queríamos ter certeza de que haveria espaço para as pessoas perceberem coisas novas a cada exibição."

Renderização final do astrolábio

Ele ainda diz que George R. R. Martins (autor dos livros) criou a fundação do que fizeram pelo escrito nos livros e no desenho dos mapas. E que não viu a abertura até a estréia da série, mas fiou muito feliz com o resultado. O trabalho todo levou cerca de cinco ou seis meses de duração com diferentes escalas de produção. Quanto à HBO, disse que é um empresa incrível de se trabalhar.


Renderização da logo
Clique aqui para ler a entrevista na íntegra em inglês.

E agora, segue o vídeo da abertura, vamos assistir de novo?

2 Comentários:

Cida Barros disse... [Responder]

Eu AMO essa abertura, pra mim tbm é a melhor que já vi até hoje!!!

Fátima Barros Vieira disse... [Responder]

Parabéns Vivian,realmente essa Abertura é Linda!O texto aí está Excelente.Comecei a ver o 1º Epsódio,pra entender melhor minha leitura,kkkk Bjos.

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário... ele é muito importante para mim. Espero que tenha gostado do blog e que volte sempre!!!