Pages

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Desculpe, não me lembro de você

"É chato ouvir isso, mas acontece – e não mata"
Por Ivan Martins



Todos nós somos inesquecíveis, claro. Mas algumas pessoas, estranhamente, se esquecem de nós. E nós também nos esquecemos de pessoas. Se a vida fosse simples, não haveria problema. “Desculpe, eu não me lembro de você”. Diante dessa frase, perfeitamente compreensível, a pessoa explicaria, rapidamente, onde e quando vocês se conheceram – e que tipo circunstância compartilharam. Foi trabalho, lazer ou prazer? Mas a vida está longe de ser simples. Diante de um sorriso de intimidade num rosto estranho, a maior parte de nós mergulha em pânico social. Em vez de admitir ignorância, somos levados a agir como tontos. Sorrimos de forma mecânica, entabulamos uma conversa sem sentido, esperamos que o cérebro – o mesmo que acaba de nos deixar na mão – encontre uma saída para a enrascada. A quem pertence esse rosto, meu deus? De quem é essa voz que se dirige a mim com tanta naturalidade? Todos já passamos por esse pesadelo.


Faz muito tempo eu vi um filme francês no qual havia uma cena desse tipo, deliciosa. O sujeito entra no bar, senta-se em frente da garçonete e faz cara de criança feliz. A moça olha, estranha a atitude dele e, afinal, pergunta: você e eu nos conhecemos? O rapaz balança a cabeça afirmativamente. Ela faz cara de brava, afasta-se, mas volta, minutos depois, curiosa. “Nós transamos?”, pergunta. O rapaz assente, com entusiasmo. Na cena seguinte, estão os dois na cama, com cara de que deu tudo errado. Ela diz uma única frase: “Agora me lembrei de você”.

Afinal, o que nos torna esquecíveis ou inesquecíveis?

Minha impressão é que isso nada tem a ver com qualidades inerentes, como beleza, charme e habilidades. É uma questão de circunstância. Às vezes estamos tão agitados ou tão distraídos que a mais bela mulher do mundo pode passar sem deixar marcas. Diante do cenário em movimento, torna-se um rosto ou um corpo sem identidade. Outro. Há fases da vida dos homens e das mulheres em que isso tende a acontecer. Pela quantidade, pela repetição, pela ausência de relevo emocional. A tristeza provoca esse tipo de sensação. Ou a euforia. Tudo fica mais ou menos igual. As coisas e pessoas vão se sucedendo e todas elas ficam parecidas. É provável que alguém que passe pela vida do sujeito – ou da moça – num período desses, seja posto de lado na memória, logo em seguida. Sem desonra. A gente nunca sabe o que se passa no interior do outro.

Uma vez, anos atrás, estava com meus filhos na Fnac e avistei uma namorada de adolescência que foi, para mim, da maior importância. Ela estava na faculdade, eu no colégio. Ela era culta e bem informada, eu, louco para aprender. Longas conversas, sexo desengonçado, política, filmes e passeios no Bom Retiro. Jamais me esqueci dela. Como poderia? Pois nesse dia, na Fnac, minha ex-namorada demorou uma eternidade para lembrar-se de mim. Eu lá, sorrindo, emocionado, exibindo as minhas crias, e ela me fitando como se eu fosse de Marte. Longos minutos depois, quando eu, de tanto explicar, consegui que ela recordasse alguma coisa, a reação foi ainda pior. Ah, sim, Ivan... com uma expressão de quase indiferença no rosto. Fiquei desconcertado. Ela fora importante na minha vida, mas a recíproca, obviamente, não era verdadeira. Recolhi minha alegria sem contexto e fui embora, explicando aos meus filhos sobre a arte do desencontro. Sem desonra. A gente nunca sabe o que se passa no interior do outro.

Agora que inventaram o Facebook, essas coisas estão acontecendo em escala muito maior, planetária. Na vida de todo mundo. Eu não sou o cara mais popular da cidade, nunca fui, e, mesmo assim, vira e mexe aparece alguém no meu perfil, se reapresentado: então, lembra de mim? Às vezes eu não me lembro de nada e deixo por isso mesmo. A memória deve ter suas razões. Em outras ocasiões eu quase lembro, quase sei quem é a pessoa, e isso me deixa curioso. O que terá havido que eu borrei na memória?

Outro dia aconteceu algo assim. Apareceu um nome, um rosto e uma alegria gostosa em me reencontrar, depois de uns 10 anos. Como não era uma conversa frente a frente, o embaraço foi menor. Eu pude, delicadamente, fazer perguntas. De onde a gente se conhece mesmo, quem nos apresentou, você era a moça que alugava aquela casa na praia? Eu estava com medo de repetir a cena do filme francês - esquecer de alguém com quem eu tinha transado - mas não foi o caso. Melhor assim. Já me aconteceu de apagar esse tipo de evento íntimo e a sensação é muito ruim. A gente se sente ao mesmo tempo promíscuo e desmemoriado.

Como eu disse no início, todos nós somos intrinsecamente inesquecíveis. Únicos mesmo. E eu acredito nisso. Se alguém pudesse, como nos filmes, entrar na nossa mente, por um segundo que fosse, perceberia a corrente de sentimentos, memórias e sensações totalmente originais que forma cada um de nós. Mas não vivemos assim, não é? Passamos rapidamente pela vida dos outros, que passam pela nossa, sem verdadeiramente nos tocar. Somos muitos, não deixamos marcas e tampouco nos deixamos marcar. Nessas circunstâncias, a memória fraqueja. Cria embaraços, mas abre, também, novas oportunidades. “Desculpe, eu não me lembro de você”, não é necessariamente um insulto. Pode ser apenas um recomeço

Ivan Martins é editor-executivo da revista Época
Fonte: Época

PS: Isso já aconteceu várias vezes comigo, e é horrível rsrsrs... esquecer nomes eu também sou mestre. E você já passou por estas situações?

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Aham Cláudia, senta lá!

Até bem pouco tempo eu não sabia o que queria dizer esta expressão, tinha só uma idéia pelo contexto em que já vi ela aparecer em vários momentos em redes sociais e em grupos do yahoo que participo. Pois bem, fui perguntar pro tio Google e o que ele me disse foi que esta expressão surgiu em um programa antigo da Xuxa, acho que o primeiro que ela teve na TV. Neste vídeo ela tenta fazer uma brincadeira com as crianças pedindo para elas se sentarem (sem nenhuma paciência, diga-se de passagem hehe). Então uma criança, a Cláudia, entrega pra ela um papel e Xuxa diz "Aham Cláudia, senta lá!!!" E daí pegou...

Confere só o vídeo da onde a expressão surgiu:



A expressão é usada quando você quer ignorar um comentário, algo que você não concorda e não quer perder tempo em discutir... bom pelo menos é o que eu acho kkkkkkkk

Sabe de outros significados? Posta aí nos comments!!! xoxo

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Liberdade e Opções



O mundo moderno é rico de possibilidades.

A sociedade convive melhor com as diferenças e as mais diversas opções são possíveis, sem causar grandes choques e antagonismos.

No pretérito, não era assim.

Por muito tempo, a transposição entre classes sociais era difícil, senão impossível.

Em certas culturas, quem nascia em família de artesãos deveria sê-lo também.

O círculo da nobreza era inacessível para os nascidos plebeus.

Hoje vigora em maior grau uma liberdade não apenas de opções, mas também de costumes.

Perante o corpo social, afigura-se possível ao indivíduo escolher livremente sua profissão, hábitos, moradia e amigos.

Ele pode escolher constituir família ou permanecer solteiro.

É possível a alguém casar-se, separar-se, tornar a se casar inúmeras vezes.

Esse contexto de liberdade é valioso para os seres humanos.

Não é possível crescer em entendimento e compreensão sem a possibilidade de tomar decisões e arcar com as conseqüências.

Mas é preciso refletir sobre os reflexos das próprias opções.

Os seres humanos estão em constante interação e os atos de uns refletem nas vidas dos outros.

Justamente por isso se afirma que liberdade pressupõe responsabilidade.

Para o cristão a questão da liberdade é ainda mais séria.

Ele necessita compatibilizar as opções que faz com as palavras e os exemplos do Cristo.

Caso contrário, a palavra 'cristão' será apenas um rótulo, destituído de significado.

Assim, se você se afirma cristão, analise a forma como utiliza sua liberdade.

Reflita se suas opções revelam fidelidade às lições de Jesus.

Como você se identifica com os valores cristãos, isso quer dizer que sua sensibilidade está desperta para aspectos transcendentes da vida.

Ou seja, o mundo e seus valores não mais o satisfazem plenamente.

Há em você a necessidade de transcender, de amar puramente seus irmãos, de compreender e respeitar a vida.

Recorde, pois, que Jesus foi trabalho, amor, renúncia e pureza.

Suas opções estão de acordo com esse modelo?

Caso não estejam, pense que você é livre, pleno de possibilidades.

A cultura lhe é acessível, carreiras estão a sua disposição, você pode gastar seu tempo como lhe aprouver.

Por que não optar livremente pela felicidade duradoura?

Que lhe importa que no mundo imperem a desonestidade, a luxúria e a irresponsabilidade?

Você é responsável exclusivamente por suas opções, pelo que faz de sua vida.

Não utilize os equívocos dos outros como desculpas.

Em determinada passagem de uma de suas epístolas, Paulo de Tarso afirma que tudo lhe era possível, mas nem tudo lhe era conveniente.

É exatamente a sua situação.

No mundo atual, quase tudo é admitido, sem censuras.

Mas a consciência de quem admira e segue o ensino moral do Cristo não compactua com comportamentos levianos.

Não se iluda nem embote sua consciência.

Viva de forma nobre a sua liberdade.

Texto da Equipe de Redação do Momento Espírita.

domingo, 17 de abril de 2011

Otimismo todo dia # 4


"Se os seus empreendimentos estão sofrendo atrapalhos, se as coisas não marcham como gostaria e querem levá-lo à desesperança, preserve-se dos abalos.
Considere passageiras as contrariedades, convicto de que caminha para uma situação de tranquila normalidade, a salvo, como um náufrago na praia. As dificuldades são manhas que mais aumentam quando mais temidas.
Acredite fortemente em si e prossiga vivendo, trabalhando e crescendo, sem medo de atrapalhos, tendo um bom futuro à espera, certo de que os problemas nada são para você.
O que atrapalha não são os problemas, mas a fraqueza de quem lida com eles."

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Freirinha atravessando para o Lado Sombrio...

Olha que graçinha de curta que mostra o que acontece com uma freira após atravessar para o Lado Sombrio... rs
Autoria do argentino Juan Pablo Zaramella

LAPSUS from Juan Pablo Zaramella on Vimeo.

:-)

terça-feira, 12 de abril de 2011

Sorteio "Nova coleção de esmaltes Color Trend + um brinde surpresa"

Olá pessoal, hoje o blog completa 03 anos de vida (nossa como o tempo passa!!!). E para não deixar esta data passar em branco, decidi realizar o primeiro sorteio do blog.

O sorteio será da nova coleção de esmaltes Color Trend do Avon "Garota da Capa". São quatro cores maravilhosas: Garota da Capa (um dourado luxo), Flagra (roxinho cheio de personalidade), Babado Forte (vermelho arrasa-quarteirão) e VIP (cinza chumbo chic no último) + um brinde surpresa.

Os rapazes também podem participar claaaaro. Podem presentar a namorada, irmã, mamãe, etc... e o brinde é unissex hehe

Enfim, vamos às regras da participação:
1 - Seguir o blog publicamente
2 - Ter endereço de entrega no Brasil
3 - Preencher o formulário abaixo
4 - Quem quiser divulgar a promoção nas redes sociais é só deixar o link de divulgação e ganhará mais um número para concorrer
5 - O ganhador (a) terá uma semana após o sorteio para entrar em contato e informar o endereço de entrega

As inscrições podem ser feitas até o dia 15/05/11 e o resultado sairá no dia 18/05/11.

Boa sorte à todos :-)


Aproveito também para agradecer à todos os visitantes, seguidores e os comentários ao longo destes 03 anos. Muito obrigada!!!

Clique aqui, e releia o primeiro post do blog!!!


Inscriçoes encerradas. Resultado aqui.