Pages

sábado, 8 de janeiro de 2011

Viajante do tempo flagrada em filme de Charlie Chaplin?

Em um extra capturando cenas da premiere em 1928 do filme "O Circo" de Charlie Chaplin, o britânico George Clarke notou:
“Uma grande mulher vestida de preto com um chapéu, escondendo a maior parte de seu rosto e segurando o que só pode ser descrito como um telefone celular – falando enquanto ela caminha sozinha. Estudei este filme por mais de um ano, mostrando-o a mais de 100 pessoas e em um festival de filmes, mas ninguém consegue me oferecer explicações ao que ela está fazendo. Minha única teoria, assim como a de outros, é simples… uma viajante do tempo usando um telefone celular”.
Será mesmo? Uma rápida análise permite tecer algumas considerações, embora infelizmente, nenhuma conclusão uma vez que tudo o que temos são alguns segundos de um filme de 1928 onde não se pode ver o que a pessoa em questão segura em sua mão esquerda. Poderia ser de tudo, inclusive nada.


Nos poucos dias desde que Clarke divulgou seu comentário, teorias já fervilham pela rede. Além da ideia tantalizante de uma viajante do tempo, duas possibilidades mais prosaicas têm sido discutidas. A primeira e mais provável, é que a mulher de certa idade esteja simplesmente usando uma corneta, espécie de funil para aqueles com problemas de audição. Poderia ser uma corneta similar a esta de fins do século 19 e início do século 20:


Como apoio a esta interpretação, note que os dedos indicador e médio da senhora estão mais estendidos, exatamente como se esperaria se ela segurasse um objeto mais esférico e não plano como aparelhos celulares contemporâneos. Um objeto mais esférico como uma corneta. Compare a posição dos dedos da mulher com a destes senhores, em fotografias de arquivo:



Estes homens, incluindo o compositor inglês Ralph Vaughan Williams à direita, não estavam usando telefones celulares, mas simples cornetas. E então, a mulher poderia não estar segurando nada, simplesmente coçando a cabeça (com seus dedos indicador e médio), ou apenas bloqueando a luz ofuscante do sol vindo de sua esquerda. A luz intensa do sol, a propósito, é que projeta a sombra de sua mão em sua face, o que por sua vez é que muitos devem ter confundido com evidência de um aparelho celular negro. O fato é que não podemos ver o que ela segura, se é que segura algo em sua mão. É preciso reconhecer que a senhora sim parece falar sozinha depois que para de caminhar. Alguém pode ter gritado avisando-a que estava sendo filmada. Ou não.



Mesmo sua mão e dedos parecem mais naturais, parece muito pouco provável que ela estivesse segurando uma corneta auditiva. Por que ela seguraria uma corneta enquanto andava pela rua, sem falar com ninguém em vista? A ideia de uma viajante do tempo usando um dispositivo de comunicações móvel – com uma operadora de celular transtemporal dos Eternos – é muito mais atraente. Veja o vídeo:



É no mínimo interessante não? Tirem suas conclusões... hehehehe

Fonte: Ceticismo Aberto

2 Comentários:

Fátima Barros disse... [Responder]

kkkkkkkkkkkkkkkkkkk Eu acredito que esta mulher estava é com muita dor de ouvido,e como estava ventando muito,claro que ela estava se protegendo,colocou a mão para não piorar ainda mais a dor,não acha?Bjos Vivian(só vc mesmo com estes textos)kkkkkkkkkkkkk

Cristina disse... [Responder]

OIE VIVIAN, QUE BOM QUE ESTÁ PARTICIPANDO DO SORTEIO, BOA SORTE AMIGA... DEPOIS VOLTO AQUI EM SEU CANTINHO PARA CONHEC^-LO COM MAIS CALMA...
BJS CARINHOSOS, CRIS !!!

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário... ele é muito importante para mim. Espero que tenha gostado do blog e que volte sempre!!!