Pages

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Within Temptation - Faster



Ooooba, já podemos escutar nova música do Within. A Sharon como sempre linda na capa do single. Eu ameeei:




A banda também já disponibilizou um trailer do novo album "The Unforgiving":



In my opinion, coisa boa vem por aí... :-)

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Baba Yetu (Civilization IV)

Do compositor Christopher Tin, cantada pelo Coro Gospel de Soweto, Baba Yetu é o tema de abertura do jogo de estratégia Civilization IV cantada no idioma Swahili, uma das diversas línguas da África. A novidade é que Baba Yetu entra para a história como a primeira música de videogames a ser indicada ao Grammy (melhor arranjo instrumental acompanhado de vocais de apoio).

Vale a pena ver e ouvir o vídeo oficial da música:


quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Simplicidade

Por Luiz Fernando Veríssimo



Acho a maior graça. Tomate previne isso, cebola previne aquilo, chocolate faz bem, chocolate faz mal, um cálice diário de vinho não tem problema, qualquer gole de álcool é nocivo, tome água em abundância, mas não exagere...

Diante desta profusão de descobertas, acho que o mais seguro é não mudar os hábitos.

Sei direitinho o que faz bem e o que faz mal pra minha saúde.

Prazer faz muito bem.
Dormir me deixa 0 km.
Ler um bom livro faz-me sentir novo em folha.
Viajar me deixa tenso antes de embarcar, mas depois rejuvenesço uns cinco anos.
Viagens aéreas não me incham as pernas; incham-me o cérebro, volto cheio de idéias.
Brigar me provoca arritmia cardíaca.
Ver pessoas tendo acessos de estupidez me embrulha o estômago.
Testemunhar gente jogando lata de cerveja pela janela do carro me faz perder toda a fé no ser humano.
E telejornais... os médicos deveriam proibir - como doem!
Caminhar faz bem, dançar faz bem, ficar em silêncio quando uma discussão está pegando fogo,
faz muito bem! Você exercita o autocontrole e ainda acorda no outro dia sem se sentir arrependido de nada.
Acordar de manhã arrependido do que disse ou do que fez ontem à noite é prejudicial à saúde!

E passar o resto do dia sem coragem para pedir desculpas, pior ainda!
Não pedir perdão pelas nossas mancadas dá câncer, não há tomate ou mussarela que previna.
Ir ao cinema, conseguir um lugar central nas fileiras do fundo, não ter ninguém atrapalhando sua visão, nenhum celular tocando e o filme ser espetacular, uau!
Cinema é melhor pra saúde do que pipoca!
Conversa é melhor do que piada.
Exercício é melhor do que cirurgia.
Humor é melhor do que rancor.
Amigos são melhores do que gente influente.
Economia é melhor do que dívida.
Pergunta é melhor do que dúvida.
Sonhar é melhor do que nada!

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Olha que cãozinho esperto

Gentemm, olha que graça de cachorrinho mais danado. Quem dera se o meu Tico fosse assim...


video

Aposto que quer um assim também né!

sábado, 8 de janeiro de 2011

Viajante do tempo flagrada em filme de Charlie Chaplin?

Em um extra capturando cenas da premiere em 1928 do filme "O Circo" de Charlie Chaplin, o britânico George Clarke notou:
“Uma grande mulher vestida de preto com um chapéu, escondendo a maior parte de seu rosto e segurando o que só pode ser descrito como um telefone celular – falando enquanto ela caminha sozinha. Estudei este filme por mais de um ano, mostrando-o a mais de 100 pessoas e em um festival de filmes, mas ninguém consegue me oferecer explicações ao que ela está fazendo. Minha única teoria, assim como a de outros, é simples… uma viajante do tempo usando um telefone celular”.
Será mesmo? Uma rápida análise permite tecer algumas considerações, embora infelizmente, nenhuma conclusão uma vez que tudo o que temos são alguns segundos de um filme de 1928 onde não se pode ver o que a pessoa em questão segura em sua mão esquerda. Poderia ser de tudo, inclusive nada.


Nos poucos dias desde que Clarke divulgou seu comentário, teorias já fervilham pela rede. Além da ideia tantalizante de uma viajante do tempo, duas possibilidades mais prosaicas têm sido discutidas. A primeira e mais provável, é que a mulher de certa idade esteja simplesmente usando uma corneta, espécie de funil para aqueles com problemas de audição. Poderia ser uma corneta similar a esta de fins do século 19 e início do século 20:


Como apoio a esta interpretação, note que os dedos indicador e médio da senhora estão mais estendidos, exatamente como se esperaria se ela segurasse um objeto mais esférico e não plano como aparelhos celulares contemporâneos. Um objeto mais esférico como uma corneta. Compare a posição dos dedos da mulher com a destes senhores, em fotografias de arquivo:



Estes homens, incluindo o compositor inglês Ralph Vaughan Williams à direita, não estavam usando telefones celulares, mas simples cornetas. E então, a mulher poderia não estar segurando nada, simplesmente coçando a cabeça (com seus dedos indicador e médio), ou apenas bloqueando a luz ofuscante do sol vindo de sua esquerda. A luz intensa do sol, a propósito, é que projeta a sombra de sua mão em sua face, o que por sua vez é que muitos devem ter confundido com evidência de um aparelho celular negro. O fato é que não podemos ver o que ela segura, se é que segura algo em sua mão. É preciso reconhecer que a senhora sim parece falar sozinha depois que para de caminhar. Alguém pode ter gritado avisando-a que estava sendo filmada. Ou não.



Mesmo sua mão e dedos parecem mais naturais, parece muito pouco provável que ela estivesse segurando uma corneta auditiva. Por que ela seguraria uma corneta enquanto andava pela rua, sem falar com ninguém em vista? A ideia de uma viajante do tempo usando um dispositivo de comunicações móvel – com uma operadora de celular transtemporal dos Eternos – é muito mais atraente. Veja o vídeo:



É no mínimo interessante não? Tirem suas conclusões... hehehehe

Fonte: Ceticismo Aberto

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Dancing at the Movies

Montagem fantástica de filmes musicais, com diversas cenas de mais de 50 anos, muito legal. Eu adoro filmes de dança. Confira!!!

video

sábado, 1 de janeiro de 2011

Hoje, 01 de janeiro...



Hoje é o dia que dá início a um novo ano.
É o dia primeiro.
Todos queremos iniciar mais um ano com esperanças renovadas.
É um momento de alegria e confraternização.
As rogativas, em geral, são para que se tenha muito dinheiro no bolso, saúde pra dar e vender.
Mas será que se tivermos tudo isso teremos a garantia de um ano novo cheio de felicidade?
Se Deus nos dá saúde, o que normalmente ocorre é que tratamos de acabar com ela em nome das festas.
Seja com os excessos na alimentação, bebidas alcoólicas, tabaco, ou outras drogas não menos prejudiciais à saúde.
Não nos damos conta de que a nossa saúde depende de nós. Dessa forma, se quisermos um bom ano, teremos que fazer a nossa parte.
Se pararmos para analisar o que significa a passagem do ano, perceberemos que nada se modifica externamente.
Tudo continua sendo como na véspera.
Os doentes continuam doentes, os que estão no cárcere permanecem encarcerados, os infelizes continuam os mesmos, os criminosos seguem arquitetando seus crimes, e assim por diante.
Nós, e somente nós podemos construir um ano melhor, já que um feliz ano novo não se deseja, se constrói.
Poderemos almejar por um ano bom se desde agora começarmos um investimento sólido, já que no ano que se encerra tivemos os resultados dos investimentos do ano imediatamente anterior e assim sucessivamente.
Poderemos construir um ano bom a partir da nossa reforma moral, repensando os nossos valores, corrigindo os nossos passos, dando uma nova direção à nossa estrada particular.
Se começarmos por modificar nossos comportamentos equivocados, certamente teremos um ano mais feliz.
Se pensarmos um pouco mais nas pessoas que convivem conosco, se abrirmos os olhos para ver quanta dor nos rodeia, se colocarmos nossas mãos no trabalho de construção de um mundo melhor, conquistaremos, um dia, a felicidade que tanto almejamos.
Só há um caminho para se chegar à felicidade.
E esse caminho foi mostrado por quem realmente tem autoridade, por já tê-lo trilhado. Esse alguém nós conhecemos como Jesus de Nazaré, o Cristo.
No ensinamento "amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo" está a chave da felicidade verdadeira.
Jesus nos coloca como ponto de referência.
Por isso recomenda que amemos o próximo como a nós mesmos nos amamos.
Quem se ama preserva a saúde.
Quem se ama não bombardeia o seu corpo com elementos nocivos, nem o espírito com a ira, a inveja, o ciúme etc.
Quem ama a Deus acima de todas as coisas, respeita sua criação e suas leis. Respeita seus semelhantes porque sabe que todos fomos criados por ele e que ele a todos nos ama.
Enfim, quem quer um ano novo repleto de felicidades, não tem outra saída senão construí-lo. Importa que saibamos que o novo período de tempo que se inicia, como tantos outros que já passaram, será repleto de oportunidades. Aproveitá-las bem ou mal, depende exclusivamente de cada um de nós.
O rio das oportunidades passa com suas águas sem que retornem nas mesmas circunstâncias ou situação.
Assim, o dia hoje logo passará e o chamaremos ontem, como o amanhã será em breve hoje, que se tornará ontem igualmente.
E, sem que nos demos conta, estaremos logo chamando este ano que se inicia de ano passado e assim sucessivamente.
Que todos possamos aproveitar muito bem o tesouro dos minutos na construção do amanhã feliz que desejamos, pois a eternidade é feita de segundos.
Equipe de Redação do Momento Espírita, com base no livro Repositório de sabedoria, verbetes