Pages

domingo, 1 de junho de 2008

Vídeo - Leave Out All The Rest

Linkin Park - Leave Out All The Rest

"Eu sonhei que eu estava morrendo

Você estava tão assustada

Mas ninguém a ouvia porquê ninguém se importava

Depois do meu sonho eu acordei com esse medo

O que eu estou deixando quando eu me for daqui?

Então se você me perguntar eu quero que saiba

Quando minha hora chegar esqueça os erros que eu cometi

Ajude-me a deixar para trás razões a serem esquecidas

Não se ressinta comigo

E quando se sentir vazia mantenha-me em sua memória e deixe todo o resto

Não tenha medo

Eu tenho mantido meu ritmo, compartilhando o que eu fiz, sendo forte por fora, mas não por completo

Eu nunca fui perfeito, mas nem mesmo você foi

Esquecendo toda dor você aprendeu a esconder tão bem

Fingindo ser alguém que pode vir e me salvar de mim mesmo

Eu não posso ser quem você é"


(Linkin Park)

terça-feira, 20 de maio de 2008

Ousadia



Pense... Você já se arrependeu de, em determinadas circunstâncias, não ter tomado atitudes que viessem, de alguma forma, melhorar a sua vida? Quando fazemos exame de consciência, lembramo-nos de vários AGORAS que foram perdidos e que não voltam mais. Na realidade, o que nos impede, na maioria das vezes, de ter o que queremos, ser o que sonhamos, fazer o que pensamos e aceitar com o coração é a ousadia que não cultivamos. A ousadia, geralmente, é escrava do medo. Quantas vezes perdemos a oportunidade de realizar um grande sonho, por não ter a coragem de ousar, de arriscar, deixando para depois ou para mais tarde o que deveria ser naquele AGORA.... Quantas vezes não pronunciamos, no momento oportuno, as palavras que gostaríamos de dizer, pelo medo de parecer ridículos e imaturos... Quantas vezes ficamos, porque temos medo de partir. Quantas vezes partimos porque temos medo de ficar... Quantas vezes dizemos baixinho o que, na realidade, gostaríamos de gritar.

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Insafistação no Trabalho

A sensação está diretamente ligada ao sentimento de prazer e desprazer.



Buscamos sempre satisfação naquilo que fazemos, assim como, a diminuição da frustração, dor ou desapontamento daquilo que nos desagrada, que nos traz total desprazer. A insatisfação no trabalho pode estar ligada a diversos fatores, sejam eles externos ou internos. Os fatores externos são aqueles ligados ao ambiente de trabalho, a própria equipe, ao chefe, as condições do local de trabalho, ao salário, a probabilidade de crescimento profissional etc., já os fatores internos, são referentes a saúde psíquica do trabalhador, assim como, o relacionamento interpessoal e familiar.

Quando trabalhar se torna um verdadeiro fardo, é chegado o momento de se preocupar e investigar quais as causas de tanto desprazer. Se o problema gerado é de ordem externa, torna-se simples contorná-lo, o profissional pode se aperfeiçoar naquilo que faz, investindo um pouco mais na carreira e ir em busca de um melhor emprego, (o que chamaríamos de tolerância a frustração em prol de de um bem futuro) porém é necessário estar atento se é vantajoso essa mudança de emprego, se a outra empresa oferece oportunidade de crescimento profissional e melhores condições de trabalho, pois um salário melhor resolveria temporariamente , mas se as condições de ambiente e crescimento não forem favoráveis, logo a insatisfação retornaria. Há os problemas internos, passamos boa parte de nossa vida no trabalho, as 8 ou 12 horas por dia e mal temos tempo para lazer, família, amigos. O estresse do dia a dia pode causar grandes dificuldades de relacionamento para o empregado, podendo gerar um mal estar psíquico, surgindo assim depressão, pânico, ansiedade, etc.

É necessário saber identificar as causas dessa insatisfação, problemas pessoais afetam diretamente no trabalho, causando baixo rendimento, desmotivação, atrapalhando o bom funcionamento da empresa, gerando conseqüentemente conflitos internos, como baixa auto-estima, desmotivação, desanimo apatia, etc. Qual seria então o momento de se buscar um profissional? Quando o trabalhador não consegue sozinho encontrar caminhos para uma melhor qualidade de vida. É nesse momento que o profissional ajudará ao trabalhador e encontrar a raiz do problema e o melhor caminho a seguir. Quando o tratamento é de ordem interna, o emprego passa a ver com outros olhos, a auto-estima é restaurada e o trabalhador consegue lidar melhor com as frustrações decorrentes do dia a dia. Quando de ordem externa, o profissional auxilia na melhor escolha de um novo emprego ou mesmo de um redirecionamento da vida profissional que mais se adéqua ao perfil do empregado.

Matéria extraída do site MinhaVida.

domingo, 11 de maio de 2008

Oh Mother

Vídeo feito por mim em homenagem a todas às mães, e a minha também, claro. Espero que gostem!!!

domingo, 4 de maio de 2008

Mude



Parar de fumar, fazer ginástica, emagrecer.

Trabalhar menos, não trabalhar, arranjar um trabalho.

Estudar inglês, espanhol, francês, italiano, alemão, japonês.

Comer melhor.

Aprender a dizer sim, aprender a dizer NÃO.

Guardar dinheiro, ir ao dentista, terminar o tratamento.

Cortar doces, massas e frituras.

Viajar mais.

Amar, se apaixonar, se desapaixonar.

Morar sozinho, morar com alguém, deixar de morar com alguém.

Trocar de carro, comprar um apartamento, uma bicicleta.

Andar mais a pé.

Sair para dançar, sair com os amigos, ficar mais em casa.

Fazer um check-up, arrumar o armário, ir ao cinema.

Casar, casar de novo, casar mais uma vez.

Ter um filho.

Mudar de emprego, mudar de escola, mudar de vida.

Não importa o que você queira mudar, mude.

Mudar é bom, mudar faz parte da vida.

sábado, 12 de abril de 2008

Jogue fora todos os números...



Jogue fora todos os números não essenciais para sua sobrevivência.

Isso inclui idade, peso e altura.

Deixe o médico se preocupar com eles.

Para isso ele é pago.

Freqüente, de preferência, seus amigos alegres.

Os de mau humor, puxam você para baixo.

Continue aprendendo.

Aprenda mais sobre computador, artesanato, jardinagem, qualquer coisa.

Não deixe seu cérebro desocupado.

Uma mente sem uso é a oficina do diabo.

E o nome do diabo é Alzheimer.

Curta coisas simples.

Ria sempre, muito e alto.

Ria até perder o fôlego.

Lágrimas acontecem.

Agüente, sofra e siga em frente.

A única pessoa que acompanha você a vida toda é você mesmo.

Esteja vivo, enquanto você viver.

Esteja sempre rodeado daquilo que você gosta: família, animais, lembranças, música, plantas, um hobby, o que for.

Seu lar é o seu refúgio.

Aproveite sua saúde.

Se for boa, preserve-a.

Se está instável, melhore-a.

Se está abaixo desse nível, peça ajuda.

Não faça viagens de remorsos.

Viaje sabe para onde, para aquela loja que você gosta e faça compras, viaje para cidade vizinha, para um país estrangeiro, mas não faça viagens ao passado.

Diga a quem você ama, que você realmente os ama,

em todas as oportunidades.

E se lembre sempre que:

"A vida não é medida pelo número de vezes que você respirou, mas pelos momentos em que você perdeu o fôlego...

De tanto rir... De surpresa... De êxtase... De felicidade..."

Espere um tempo!!!



Não apresse a chuva.

Ela tem seu tempo de cair e saciar a sede da terra.

Não apresse o pôr do sol.

Ele tem seu tempo de anunciar o anoitecer até seu último raio de luz.

Não apresse sua alegria.

Ela tem seu tempo para aprender com a sua tristeza.

Não apresse seu silêncio.

Ele tem seu tempo de paz após o barulho cessar.

Não apresse seu amor.

Ele tem seu tempo de semear mesmo nos solos mais áridos do teu coração.

Não apresse sua raiva.

Ela tem seu tempo para diluir-se nas águas mansas da sua consciência.

Não apresse o outro.

Ele tem seu tempo para florescer aos olhos do criador.

Não apresse a si mesmo.

Você precisa de tempo para sentir sua própria evolução.